crônicas · intercâmbio 2015/2016 · literatura

Paris em seis atos

Publicado no Literatortura Tudo o que eu busco imprimir ao papel não alcança o canto onde a sua camada mais profunda se oculta. Uma cidade que foi a celebração mais pura da criação artística nos meus seis meses de estudante. Em suas ruas, o frescor no pavimento morava, inquieto, um frescor que se recompunha de… Continuar lendo Paris em seis atos

arte · crônicas

São Paulo debaixo de neve

Coluna semanal no Fashionatto Eu sempre desejei escrever um conto mergulhado na neve e no frio europeu. Vivendo em São Paulo, que nem terra da garoa é mais, já que quando chove ganhamos de presente dos céus enchentes que colocam a cidade em estado de atenção, não me parecia possível escrever esse tipo de cenário… Continuar lendo São Paulo debaixo de neve

contos · literatura

Olhá lá, tem uma janela acesa no caos

Coluna no Fashionatto -Aquele suéter caramelo combina com a calça marrom lá de baixo. Fica bem com uma botinha – disse Gabi. -É, fica bom. Queria ver usar a calça vermelha do 65 com o moletom verde limão lá no varal de cima, sabe? -Mas ficaria meio estranho, né? Bom, depende, vai que fica diferente.… Continuar lendo Olhá lá, tem uma janela acesa no caos

crônicas

Herói no verão urbano

Eu estava pensando na forma com que se retrata o verão nas histórias. Ele é sempre a mais doce época, em que as pessoas correm pelos campos, fazem piquenique, conhecem amores efêmeros, pulam contentes com uma leve brisa. Mas a verdade é que tudo isso aí não acontece na cidade, não. O concreto parece exalar… Continuar lendo Herói no verão urbano

arte · filosofia · história · literatura · livros · matérias

Um olhar pulsante sobre a modernidade por Baudelaire, Poe e Hoffmann

“Multidão, solidão: termos iguais e permutáveis, para o poeta ativo e fecundo. Quem não sabe povoar sua solidão tampouco sabe estar só em meio a uma massa azafamada. (…) O andarilho solitário e pensativo tira uma embriaguez singular desta universal comunhão. Quem desposa facilmente a massa conhece gozos febris, dos quais serão eternamente privados o… Continuar lendo Um olhar pulsante sobre a modernidade por Baudelaire, Poe e Hoffmann

literatura · prosa poética

São Paulo, um labirinto

Acordei com a vontade de reformar a cidade. Nada de tirar pessoas de suas casas, trocar pelo moderno e fazer a rua como eu quero. Não, as pessoas sairiam de suas casas, mas não rumo ao abandono. Só com o ponteiro do relógio guiando-as para as ruas, buscando a humanidade que transbordaria de cada junta dos paralelepípedos. Derrubaríamos muros ilusórios… Continuar lendo São Paulo, um labirinto

arte · filosofia · literatura · poemas

Ofício

Ideias discorrem pela canetaEsboço que já respira e incendeia.No tempo legislador da ampulheta,Ao acordar, a vida me esbofeteia. Busco nas esquinas a epifania.Foge de meu traço a imaginação?O mundo me reprime em anarquiaDo infinito busco uma só visão. Avante à luta! Com um lápis e espada Torno em escrever heroico meu ofício! É da luta que crio grande arte. Assim,… Continuar lendo Ofício

cinema · resenhas

Por entre os fios, a solidão

Medianera, o lado de um prédio que apresenta as falhas, as rachaduras, o que se tenta esconder com merchandising, propagandas falsas. Duas pessoas com dificuldade de mostrar seus sentimentos, veem a existência engolida pela multidão da cidade, aceitam viver anônimos. Essas frases não correspondem apenas a um filme e sim, dois: Românticos anônimos e Medianeras.… Continuar lendo Por entre os fios, a solidão