literatura · livros · resenhas

A pediatra, uma anti-heroína cativante

créditos: Marina Franconeti DEL FUEGO, Andrea. A pediatra. São Paulo: Companhia das Letras, 2021 Não dá para sair imune à leitura de A pediatra, de Andréa del Fuego. Livro lançado no segundo semestre de 2021, ele já vem ganhando inúmeros fãs da anti-heroína Cecilia e da escrita veloz e poética da autora. Vencedora do Prêmio… Continuar lendo A pediatra, uma anti-heroína cativante

cinema · resenhas

A criatividade maravilhosa de As pequenas margaridas (1966)

Se o mundo é pautado pelo pecado e pela depravação, por que não ser depravada? É esta questão que parece conduzir As pequenas margaridas, filme da Tchecoslováquia de 1966. Mas o que é, afinal, depravação? As irmãs que se chamam Marie no filme, começam fazendo uma escolha, morder o fruto, conhecer tudo do mundo, provar… Continuar lendo A criatividade maravilhosa de As pequenas margaridas (1966)

literatura · livros · resenhas

A filha perdida, livro e filme: um honesto relato entre os tabus da maternidade

créditos: Marina Franconeti Férias na praia costumam significar escapismo e o alívio do distanciamento do passado. Uma suspensão para esquecer dos problemas. Mas no livro de Elena Ferrante, A filha perdida, a vida inteira de Leda volta como uma tsunami na aparentemente singela praia, para trazer à superfície as imagens menos belas da maternidade. Acompanhamos… Continuar lendo A filha perdida, livro e filme: um honesto relato entre os tabus da maternidade

literatura · livros · resenhas

Sempre vivemos no castelo, de Shirley Jackson: o coração da casa é a cozinha

foto: Marina Franconeti O que poderia ser mais inocente do que um pequenino açucareiro e uma mesa de chá? É com esta imagem tão pueril que a autora norte-americana Shirley Jackson escreve Sempre vivemos no castelo, publicado em 1962, invertendo o instante da reunião familiar em volta da comida para uma cena de assassinato. A… Continuar lendo Sempre vivemos no castelo, de Shirley Jackson: o coração da casa é a cozinha

literatura · livros · resenhas

Razão e Sensibilidade, de Jane Austen

créditos: Marina Franconeti Editora Penguin Classics (Companhia das Letras), Traduzido por Alexandre Barbosa de Souza, 504 pgs. Em Razão e Sensibilidade, Jane Austen compõe um cenário sobre os amores e as desilusões de suas heroínas. Elinor e Marianne se encaixam, à primeira vista, nessa dualidade do título, enquanto a obra passa a destrinchar as particularidades… Continuar lendo Razão e Sensibilidade, de Jane Austen

arte · dissertação de mestrado

Minha dissertação disponível para download!

O almoço na relva, de Édouard Manet, 1863 Depois de uma jornada e tanto, minha dissertação já está disponível no site Teses USP para download gratuito em pdf! Defendida para a titulação de mestre no departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo, a dissertação tem o título de Confrontos do olhar: a pintura e… Continuar lendo Minha dissertação disponível para download!

matérias · resenhas

O Gambito da rainha: o viver e crescer de uma mulher-prodígio no xadrez

A minissérie da Netflix, O Gambito da Rainha (The Queen's Gambit, no original), traz para o centro o universo dos torneios de xadrez entre o final dos anos 1950 aos 1970, com uma personagem cativante que enfrenta os desafios de ser uma mulher em um espaço masculino e competitivo. Dirigida por Scott Frank, o roteiro é baseado no… Continuar lendo O Gambito da rainha: o viver e crescer de uma mulher-prodígio no xadrez

literatura · livros · resenhas

Os Testamentos, de Margaret Atwood, continuação de O Conto da Aia

Publicado no site Artrianon Margaret Atwood Os Testamentos Editora Rocco, 447 páginas O livro Os Testamentos, de Margaret Atwood, foi lançado no final de 2019 e traz de volta o universo de Gilead, a teocracia fundamentalista norte-americana na qual se passa a tão conhecida obra da autora, O conto da aia, que virou a série… Continuar lendo Os Testamentos, de Margaret Atwood, continuação de O Conto da Aia

arte · matérias

OBRA DE ARTE DA SEMANA | Bernardino Campi pintando Sofonisba Anguissola, de Sofonisba Anguissola

À primeira vista, o quadro Bernardino Campi pintando Sofonisba Anguissola (1559), da artista renascentista Sofonisba Anguissola, parece evocar uma cena comum: um artista em cena pintando uma mulher. O título logo indica se tratar do professor de Anguissola, Bernardino Campi. E nos diz que a pessoa retratada pelo professor é a própria artista do quadro, Sofonisba Anguissola.… Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA | Bernardino Campi pintando Sofonisba Anguissola, de Sofonisba Anguissola

arte · história · matérias

OBRA DE ARTE DA SEMANA | Joana D’Arc, de Albert Lynch

Publicado no site Artrianon  No dia 30 de maio de 1431, a jovem francesa Joana D’Arc foi queimada em praça pública ao ser acusada de heresia e feitiçaria por um tribunal eclesiástico inglês e francês. Joana D’Arc teve papel importante no contexto da Guerra dos Cem Anos, elevando o sentimento nacional do povo francês contra… Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA | Joana D’Arc, de Albert Lynch